A publisher do Jogo 2K Games, confirmou ter enviado investigadores particulares a casa do YouTuber SupMatto, como parte da investigação de vazamentos de Borderlands 3.

Matt “SupMatto” Somers é um YouTuber com canal dedicado a série.

“No dia 25 de julho, investigadores particulares invadiram minha propriedade para me interrogar, eu estava muito tenso, tendo 2 pessoas em Ternos que eu não conheço vindo até minha casa” disse SupMatto. “Eu não devia ter falado nada, mas eu falei, pois, sinto que não tenho nada a esconder, eles me perguntaram sobe diversas coisas do meu canal e sobre live streams no meu canal (twitch)”

Take-Two alega que para obter algumas informações SupMatto usou de um exploit na plataforma, Twitch, que permitia ele ter acesso a transmissões privadas.

Não é a primeira polêmica que Borderlands se mete antes do lançamento de seu novo jogo, a exclusividade na Epic Store já foi motivo de comentários negativos e muitos fãs não gostaram da decisão, tendo em vista a grande diferença de funcionalidades apresentadas pela Epic Store em comparação a Steam.

Ao que tudo indica, Twitch e Discord, estavam também investigando SupMatto. Discordo chegou a deletar o canal de comunicação do youtuber, por “Vender, Promover ou distribuir cheats, hacks ou contas crackeadas”, de acordo com a IGN, SupMatto divulgava mais informações para quem fosse assinante de seu canal pagando US$5.00.

Não é a primeira vez que a Take-Two toma esse tipo de atitude, em 2015 investigadores foram enviados a casa do criador do FiveM, mod para GTA Online que muitos devem conhecer através dos canais de GTA Role Play.

A comunidade de Borderlands não ficou nada feliz, obviamente e a hashtag #boycottborderlands3 está a todo vapor.

Confira o vídeo de SupMatto na íntegra abaixo: