Durante a BGS 2015, a Capcom manteve uma salinha fechada, aos fundos de seu grande estande, para imprensa e entrevistas. Graças ao querido Fabio Santana, gerente de PR da Capcom, nós conseguimos uma brechinha nesta sala para jogar um pouco do novo Street Fighter.

Sofás confortáveis, ar condicionado, um controle de PlayStation 4 e um arcade stick (pessoal do Fabio). E então eu e o Bruno tivemos um gostinho do que podemos esperar de Street Fighter V.

A versão que jogamos era diferente da que rodava nos arcades do estande, já que possuia personagens que não haviam sido liberados, como Karin e a tão aguardada brasileira Laura (só liberada no último dia do evento).

A sensação que fica é de que a jogabilidade é estranhamente familiar. Lembra bastante o jogo anterior da série, mas como o próprio Fabio comentou, “o jogo está muito mais acessível, fácil de mestrar – até mesmo para quem nunca jogou Street Fighter na vida”.
Um exemplo claro disso é o novo personagem Rashid, que “qualquer botão que você aperte com ele vai resultar em algo”, disse Fabio. É um personagem ágil, com ataques de curta e longa distância, e uma excelente escolha para iniciantes por ser realmente de fácil execução.

Já Laura, apesar da agilidade, demora um pouco mais para pegar o jeito, mas seu estilo de jiu-jitsu somado aos golpes elétricos faz com que seja uma personagem que você tem vontade de aprender a jogar bem.

Mas mesmo tão familiar, o novo título traz muitas novidades (além dos novos personagens). Exemplo claros são a V-Skill, V-Trigger e V-Reversal – que, explicando por cima, funcionam parecido com os ataques Super e Ultra de Street Fighter IV.

Os clássicos Ryu e Ken estão com novidades também: enquanto Ken parece mais focado na agilidade e nos combos, bem agressivo (além de ter muitos golpes com fogo), Ryu parece der voltado às raízes de Street Fighter 3rd Strike, sendo o único personagem a ter a habilidade de dar parry nos golpes inimigos com seu V-Trigger.

Os gráficos e o estilo de arte também lembram bastante SFIV, mas o jogo está muito mais bonito, fluido e parece até mesmo mais rápido.

Além de tudo isso, o jogo contará com dois sistemas para compra de personagens e outros conteúdos in-game: o “Zenny”, que usa dinheiro real, e o “Fight Money”, moeda que você coleta ao jogar.

Nós do PopVerse agradecemos ao Fabio de coração não só pelo fato de podermos jogar por um bom tempo, mas também pela companhia e as dicas de como jogar um pouco menos pior (além da surra que nos deu de Zangief).

Street Fighter V está programado para sair na primeira metade de 2016, exclusivamente para PlayStation 4 e PC. Dos dias 23 a 25, a Capcom estará fazendo a segunda rodada de testes no beta, para testar o cross-play entre consoles e computadores.

COMPARTILHE