Durante a BGS 2015 pudemos testar o aguardadíssimo Rise of the Tomb Raider, que será a sequência do título lançado em 2013 denominado apenas “Tomb Raider”, que promete as tão aguardadas tumbas e muitas melhorias com relação ao gameplay.

Nós tivemos a oportunidade de jogar a primeira tumba que será apresentada no jogo. Ela se inicia em cima de uma montanha e quando Lara adentra, logo retira uma espécie de tubo iluminado na cor azul para poder facilitar a vista do jogador durante a sua empreitada. Em meio aos belíssimos cenários pudemos observar o nível absurdo de detalhes criados pela Crystal Dinamics, por exemplo, ao submergir Croft vai inflar suas bochechas prendendo o máximo de ar que conseguir e quando você finalmente der espaço para a personagem respirar verá o alívio da mesma.

rise-of-the-tomb-raider-legend-within-12

Uma das coisas mais pedidas pelos fãs foram as tumbas. Em Rise of the Tomb Raider você verá níveis extremamente complexos de puzzles que precisaram de alguns minutos (ou horas) até que você finalmente entenda como resolver os quebra-cabeças. Devemos lembrar que este tipo de situação foi o quê tornou Tomb Raider um exemplo de jogos de aventura e exploração nas versões antigas do jogo.

Obviamente que as tumbas não seriam nada sem as famosas armadilhas, mas podem ficar tranquilos que elas retornarão na mais nova edição da franquia. Em determinados momentos você poderá pisar em placas de pressão, armadilhas de urso ou até mesmo alçapões e colocará Lara em frente a morte, mas uma grande sacada dos produtores foi inserir um momento de slow motion aonde dará a oportunidade ao jogador de se salvar e entender que situações como aquela devem ser evitadas sempre que possíveis. Nesses casos o reflexo será tudo dentro do jogo.

O quê pude jogar de Rise of the Tomb Raider apenas me deixou mais ansioso pela versão final do jogo que chegará em breve, dia 10 de Novembro de 2015 para os consoles do Xbox e PC.

COMPARTILHE