A Brasil Game Show, que aconteceu entre os dias 11 e 15 de outubro na Expo Center Norte, em São Paulo, teve a participação de diversas empresas do segmento de periféricos e hardware gamer, entre elas estava a HyperX.

Conversamos com Fabio Bottalo que é Marketing Manager da marca aqui no Brasil e ele respondeu algumas de nossas perguntas a respeito da marca.

Entrevista Fabio Bottalo, Marketing Manager – HyperX:

PopVerse – Sabemos que a HyperX está embarcando em uma área de teclados e mouses, o que podemos esperar depois do teclado Alloy, o que podemos esperar do futuro da HyperX?

Fabio – “Começamos desenvolvendo teclados mecânicos e trouxemos eles para a feira, o próximo passo naturalmente é um teclado RGB, que já estamos preparando. A HyperX gosta de fazer as coisas de um modo mais lento, cauteloso, pois vamos muito na do jogador, então perguntamos e investigamos sobre como deve ser o produto/acessório e depois disso lançamos. Os jogadores poderão ter um teclado RGB da HyperX que está planejado para ser lançado no começo do ano que vem.”

PopVerse – O ponto alto da HyperX são os headsets. O que podemos esperar de novidades em relação a isso?

Fabio – “Se você ver o lançamento que nós acabamos de fazer, o HyperX Alpha, que possui uma tecnologia um pouco diferente que reduz a distorção dos sons, valoriza o bass e equaliza automaticamente os sons diretamente no headset sem a necessidade de softwares. A tecnologia utilizada chama Dual Chamber e é um headset super confortável com a espuma auricular patenteada para evitar o cansaço na orelha, possui toda a construção em aço e é super durável e confortável e a experiência sonora é uma muito boa.”

PopVerse – Como funciona o patrocínio da HyperX para as equipes de eSports?

Fabio – “Desde 2002, a HyperX que na época era uma linha de produtos, já patrocinava equipes de eSports, como por exemplo a SK Gaming foi patrocinada com memórias RAM na época e a partir de 2012, quando embarcamos nesse segmento gamer, começamos a patrocinar o time da CNB com SSD’s, memórias RAM e pen drives. Há uns quatro anos atrás entramos na área de acessórios de um modo mais série e começamos a trazer produtos que vocês já conhecem e os times, principalmente a CNB, foi um pilar estratégico para nós, pois os jogadores são os que usam o produto de um modo profissional e se eles aprovam, as pessoas começam a se interessar. Então começamos patrocinando no Brasil a CNB, a Kabum eSports que já é naturalmente um parceiro comercial nosso e começamos com o patrocínio depois, a Pro Gaming que é um time bem disputado, possui bastante potencial e o bootcamp que é algo que eu sempre pedi aqui no Brasil para termos um time feminino que eu acho bem legal ter as meninas jogando, elas têm muita energia e jogam muito bem e também trabalhamos com alguns jogadores da Innova.”

PopVerse – O que podemos esperar da HyperX em 2018?

Fabio – “Continuaremos nesse passo de desenvolver essa tecnologia de áudio, teclados e mouses para ter uma família de produtos relevantes para os profissionais, mas também pensando nos amadores, queremos que esse tipo de acessório não seja apenas percebido como um produto para jogadores profissinais, também queremos que as pessoas que se divertem jogando tenham uma boa experiência.”

PopVerse – Houve um crescimento desse pessoal que jogava casualmente e começou a adquirir estes produtos e a jogar mais sério?

Fabio – “Sem dúvida, o mercado de games cresceu bastante, vemos isso nas comunidades a quantidade de jogadores que tem aspiração em se tornar profissionais e vemos essas academias como a Games Academy do Fallen, vemos a academia que a CNB está planejando com os cursos todos para aprender a jogar, os próprios streamers e jogadores dão dicas e ensinam. Então temos muita gente que eu acho que com o eSports quebrou o tabu de que os games não são uma coisa séria e muita gente hoje quer se profissionalizar e quer viver disso.”

PopVerse – Gostaria de deixar uma mensagem para os consumidores e fãs da marca aqui no Brasil?

Fabio – “Queremos muito ouvir sempre o que eles tem a dizer sobre nós e nossos produtos e eu acho que eles tem que levar seriamente o eSports, privilegiando as marcas que são séries, independente de ser a nossa e sem ser moralista, mas você devem jogar na hora que tem que jogar e continuar estudando e cuidando da vida de um modo legal e bacana e eu acho que vai ficar bem bonito daqui a pouco e talvez veremos algum dia o eSports como uma modalidade olímpíca.”

COMPARTILHE