God Of War traz uma nova jornada para um velho espartano.

Nunca é fácil para uma empresa reinventar uma série, ainda mais se ela possui um personagem bastante conhecido e amado. Mas foi o que Sony fez com God Of War, que marca o retorno de Kratos, que agora, mais velho, precisa lidar com o fato de ser pai. Além disso ele precisa enfrentar problemas que ressurgem de seu passado.

Desde que foi anunciado na E3 de 2016, esse novo jogo da franquia chamou muita atenção. O principal motivo disso é o fato de que foi mostrado um lado de Kratos que nunca tínhamos visto. Neste novo God Of War, Kratos está mais humano e seu rosto cansado parece refletir todo o seu passado sombrio.

Na história do jogo, Kratos saiu da Grécia para tentar uma nova vida em Midgard, reino pertencente à mitologia Nórdica. Desta vez, o espartano não está sozinho, Atreus, seu filho, o acompanhará nesta jornada. O garoto não é só o filho de Kratos, mas também se demonstra um grande aliado nesta aventura.

Após a morte da mãe de Atreus e companheira de Kratos, os dois partem em uma jornada para levar suas cinzas até o pico mais alto dos nove reinos. De início, ambos pensavam que este lugar se encontrava em Midgard. Após diversos conflitos, ambos descobrem que este lugar se encontrava em Jotunheim, reino dos gigantes, e partem em busca de um modo de chegar até lá.

Um Deus arrependido de seu passado.

Durante esta aventura, vemos que Kratos se arrepende de seu passado e agora ele precisa lidar com o sentimento de ser pai novamente. O jogo é marcado pelo espartano ensinando seu filho a sobreviver. Ele também se assegura que Atreus não siga o mesmo caminho que ele seguiu no passado. Além disso, ele precisa lidar com o fato de que sua presença em Midgard pode gerar várias consequências. O que se destaca mais é a relação entre Kratos e Atreus. Se formos comparar com alguma outra dupla de personagens, podemos dizer que está em um nível de Ellie e Joel de The Last Of Us. No geral, podemos ver a evolução de Kratos, de um bruto espartano para um pai protetor.

Nesse jogo até mesmo os personagens secundários são muito mais interessantes que os que encontramos nos jogos anteriores. Mimir, por exemplo, é extremamente carismático e mantém os jogadores interessados nos diálogos o tempo todo. Ele conta várias histórias ao longo da jornada que nos fazem entender mais deste novo mundo. Junto com todas essas histórias, Mimir se demonstra um excelente guia para a dupla.

O combate no jogo continua bruto e violento como nos outros jogos, porém foi bem trabalhado e consequentemente se tornou muito mais dinâmico. Se antes o jogo era considerado um ”esmaga botões”, agora ele requer muito mais atenção do jogador.

Kratos começa com um machado que permite utilizar uma boa quantidade de golpes e combos diferentes. Durante o jogo, você pode desbloquear novas habilidades, além de outra arma para equilibrar o gameplay. Os inimigos são bastante variados e você precisa adaptar seu estilo de jogo para enfrentar cada um deles.

Não só um filho, mas um jovem guerreiro aliado.

Como dito no início do texto, Atreus se demonstra um grande aliado e está ali para ajudar Kratos durante as batalhas. Equipado com um arco, o garoto pode atirar flechas para distrair ou atordoar inimigos. Isso torna a relação entre os personagens muito mais atraente. Atreus sempre age sozinho nas batalhas, mas com o apertar de um botão ele pode utilizar ataques rúnicos que ajudam mais ainda no combate.

Além disso tudo, Kratos e Atreus podem equipar vários conjuntos de armaduras e runas, deixando o jogador escolher quais atributos melhorar. Todos estes equipamentos podem ser forjados com Brok ou Sindri, os anões ferreiros, ou encontrados durante as explorações.

Este novo God Of War possui um visual incrível. A atenção aos detalhes e os cenários são de tirar o fôlego e fazem o jogador querer passar mais tempo explorando todos os cantos.

A trilha sonora é sensacional e muito bem trabalhada, seja nas cutscenes, na exploração ou no combate. Ela além de empolgar em muitos momentos, traz um sentimento diferente para o jogo.

God Of War marca um maravilhoso recomeço para a franquia e nos mostra um Kratos muito mais humano e paterno. A narrativa é excelente e da forma que é contada deixa o jogador muito mais empolgado ao viver essa história. A Santa Monica Studio está de parabéns pelo incrível trabalho e esperamos que os próximos jogos sejam tão bons quanto este.